Comprar ou alugar um servidor? Saiba como reduzir a fatura anual com infraestrutura de TI

15 Março, 2017
data center virtual
4 formas de ganhar produtividade na equipa de TI apostando em datacenter virtual
29 Março, 2017
Alugar versus comprar

Muitas empresas enfrentam no seu dia-a-dia o dilema de ter de decidir se devem comprar ou “apenas” alugar o seu material informático. Na realidade, numa altura em que os orçamentos são ainda demasiado apertados e a margem de manobra para gastos é pouca (ou quase nenhuma), há que fazer contas à vida e perceber qual será, no cômputo geral, o caminho mais rentável a seguir.

Um primeiro passo, no sentido de avaliar a estratégia mais eficaz, passa por considerar os custos fixos existentes, ou seja, aqueles com os quais se deve contar, independentemente da produção. Não estando associados ao desempenho, este tipo de custos pode vir a ser, em última análise, uma porta aberta para eventuais prejuízos.

São despesas regulares – responsáveis por manter a empresa em funcionamento – e que integram variáveis como os salários dos funcionários e os gastos com aluguer, limpeza, segurança, energia elétrica, gás, água, telefone, internet, manutenções, etc.

Ora um dos primeiros passos no sentido do aumento da competitividade, passa por baixar este tipo de custos percebendo, por exemplo, que a organização poderá estar a perder dinheiro ao contar com um parque informático que, embora seja totalmente seu, está consideravelmente obsoleto e desatualizado. Desta forma, não só se compromete o trabalho do dia-a-dia como também, e a longo prazo, a própria competitividade da empresa e a capacidade de resposta ao cliente.

Na realidade, se a opção passar, por exemplo, pela concentração nas áreas de negócio "core" dentro da organização, poderá ter de se recorrer, por vezes, à subcontratação, aluguer externo ou ao "outsourcing" em determinadas áreas. Desta forma, está-se também a libertar recursos para as atividades críticas e a melhorar o ROI.

Partilhar para vencer

Sabe-se atualmente que a partilha do risco e a flexibilidade na estrutura de custos (transformação de custos fixos em variáveis indexados a projetos) acabam por ser uma clara vantagem para as organizações que optam por este tipo de estratégia.

No âmbito das TI, uma das possibilidades para se combater a desatualização do parque informático e, ao mesmo tempo, reduzir os tais “custos fixos”, passará por alugar um servidor, em vez de comprar, por exemplo.

Por outro lado, a compra de novos equipamentos costuma ser, em si mesma, um processo longo e burocrático. Ao optar pelo aluguer de equipamentos de TI, como é o caso dos servidores, as rotinas de contratação tornam-se mais simplificadas.

Prós e contras na balança

Ainda assim, quem compra o equipamento poderá considerar mais vantajosa esta opção, tendo em conta o papel, eventualmente, não tão determinante que a tecnologia tem na vida da organização. No entanto, podemos estar a falar de empresas que preferem ter a gestão e o controle total sobre os seus equipamentos informáticos, em vez de os colocarem nas mãos de terceiros.

Por outro lado, alugar um servidor permite assegurar, por exemplo, a sua constante atualização, dizendo-se adeus a tudo o que são máquinas obsoletas.

Uma segunda mais-valia a considerar diz respeito à pronta resposta no caso de um equipamento crítico parar de funcionar, assegurando-se assim a sua rápida substituição e um menor (ou inexistente) downtime.

Pagar apenas aquilo que se consome será outra das vantagens a ter em conta ao alugar um servidor, já que o contrato com o fornecedor de TI poderá contemplar este aspeto. Neste caso, a vantagem passará por uma diminuição de custos até porque não existe capacidade desperdiçada.

Finalmente, e feitas as contas, alugar um servidor permite que a larga maioria das responsabilidades fique do lado do prestador do serviço, assegurando-se assim um menor risco para a organização, através também do estabelecimento de SLAs específicas para este efeito.

Em jeito de balanço

Em suma, o aluguer de servidores acaba por ser uma opção mais eficiente e vantajosa para as empresas. Na larga maioria dos casos, revela-se não só mais barata como também apresenta claros ganhos de eficiência.

Nesta área, a Ar Telecom tem disponíveis serviços pensados para dar resposta às necessidades das diferentes organizações e conta igualmente com profissionais especializados e sempre disponíveis para responder às duvidas que possam surgir. Peça uma proposta à medida das suas necessidades e avalie, por si mesmo, as vantagens que passará a conseguir assegurar.

Escolher um servidor virtual não tem que ser uma tarefa complexa. Leia o nosso eBook “Os vários tipos de servidores virtuais” e fique a conhecer as principais opções disponíveis no mercado.

 
Subscrever Blog